segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Amar e Viver

Ele não entenderia se eu dissesse que deveria partir
Provavelmente iria, fantasiando meus porquês de não mais querer
Provavelmente desdenharia e sequer questionaria coisa qualquer
Provavelmente nunca saberia que era apreço até na partida
e talvez nunca haveria de saber que matar ou morrer
era pouca prova de amor e que por precaução ou pavor
eu preferiria dele o ódio às lágrimas de qualquer dor

Ele não entenderia se eu dissesse que envergonha minha existência
Provavelmente gargalharia, eu sem graça acompanharia e então calaríamos
Provavelmente acalantaria meu ser com argumentos diversos enquanto eu,
em pensamento os descartaria fazendo o inverso e sentindo tudo ainda pior
Provavelmente racionalizaria tudo e diria em sumo que me quer bem e fim
Eu, agora toda dentro de mim, desabaria em choro, concordaria em coro
e deixaríamos por assim...

Ele não entenderia que eu não quero escolher, fazer, ser...
Que eu preciso gritar às vezes sem sentido
Que eu choro muito às vezes sem motivo
"Meu bem", eu diria, "viver é pra profissionais"..

Eu só quero um canto pra esperar o descanso depois das horas passarem
As horas que arrastam correntes, passando entredentes da minha mandíbula serrada
Eu só quero a inércia dos dias vazios e rasos, sozinha se assim for o caso
Mas se puderes calar e permanecer eu te prometo doar e doer eternamente e sempre
Te prometo o mais surrealista dos matrimônios ainda levo comigo meus heterônimos e poemas
Mesmo porque com toda essa bagunça eu diria que maior poesia é te ver, de cara amassada, acordar
Eu não quero outro lar e nem preciso que ele entenda, se aceitar, compreenda.. já basta.

Ele não entenderia eu suponho

Mas nunca foi sobre entender

Creio que seja mais sobre..

Amar e
Viver.

(Ana Cristina ou Carolina)

Um comentário: